A nossa saúde mental também deveria ser importante

José Carlos Pimentel
Redator com Futuro
9 Fevereiro 2018

Poucos reconhecemos a importância de ter uma boa saúde mental. Ter saúde mental é sinónimo de confiança em nós próprios e de sermos capazes de olhar para o futuro de forma positiva. Na atualidade, muitos estudantes sentem-se incapazes de lidar com os obstáculos que encontram ao longo do seu percurso escolar e podem ser afetados por problemas de saúde mental, quer seja de maior ou menor gravidade.

Muitos de nós não estamos preparados para as tarefas realizadas no dia-a-dia e colocamo-nos em risco. Hoje responder a essas necessidades tornou-se inevitável no percurso académico, embora existam muitas fragilidades no que diz respeito a ajuda profissional. O nosso percurso académico tem efeitos cognitivos, emocionais e relacionais. Existe ainda uma enorme dificuldade nas escolas, universidades em estabelecer prioridades em torno do bem-estar dos seus alunos. Manter uma boa saúde mental é uma das nossas maiores responsabilidades; para tal é necessário interagir mais com os outros, sejam amigos ou familiares, diversificar os nossos interesses, ser uma pessoa ativa fisicamente e intelectualmente e em casos mais graves consultar um profissional.

Penso que deviam ser tomadas algumas medidas em escolas e universidades portuguesas que são de extrema importância e que de facto não existe esse devido apoio. Na transição do secundário/universidade os estudantes deveriam usufruir de uma pequena formação, oferecendo um conjunto de informações para estudantes com fragilidades de futuros problemas emocionais e mentais.

Uma cadeira introdutória sobre como ser mais responsável e tomar decisões, principalmente para quem vive longe de casa, poderia ser interessante como solução. Ter uma educação positiva no começo do percurso escolar, aulas de psicologia que ensinem os mais novatos a assumir os seus próprios níveis de felicidade e estratégias para combater os problemas. Incentivar o voluntariado é uma de outras medidas que deveria ser tomada. E por fim, mais concretamente no fim do percurso académico, ter apoio profissional para garantir que futuramente os recém-licenciados estejam aptos para a resolução de problemas, trabalho de equipa e a ansiedade sobre o futuro emprego.


DEIXA UM COMENTÁRIO