Meio caminho para encontrares aquilo que REALMENTE gostas de fazer

Redatora com Futuro
9 Maio 2019

Quantas vezes te questionaste sobre qual a tua verdadeira paixão? Se estavas no sítio certo, na área ou no curso certo? Quantas vezes já pensaste que se calhar tinhas um talento escondido, ainda por revelar, e que te enganaste a ti próprio sobre aquilo que gostavas durante este tempo todo?

Como já deves ter percebido ao longo da tua experiência até agora, quando fazes algo de que gostas realmente sentes que é ali que pertences, que ali é que te sentes realizado e, consequentemente, o teu desempenho nessa área é muito melhor.

Assim, deixo-te aqui pequenas dicas que talvez que possam ajudar a perceber aquilo em que realmente és feliz, a tua verdadeira paixão.

Dopamina!!! Dopamina?

Actualmente, muitas das actividades que nos dão prazer estão relacionadas com ver séries, comer, praticar desporto, etc. Estas actividades são, regularmente, as que levam à libertação de dopamina (associada à sensação de prazer e bem-estar) ao longo do nosso dia-a-dia.

Ora, a questão aqui é que associamos essa sensação de bem-estar e prazer a atividades de consumo, viciando o nosso organismo nessas práticas que repetimos, criando a necessidade de as inserir constantemente na nossa rotina.

Devemos, então, deixar de ter por fonte de dopamina essas actividades de consumo, ou pelo menos, reduzir a sua percentagem no total de dopamina libertada, e passar a realizar tarefas - especialmente ligadas à criação e construção de algo -  que nos fazem sentir igualmente satisfeitos.

Por exemplo, quantas vezes te sentiste concretizado e até feliz por finalmente teres acabado aquele trabalho para aquela disciplina? Ou por teres finalmente construído o armário que ainda estava por montar e teres posto os cortinados na sala?

É esta a diferença entre vício (vício em ver séries, vício no jogo, …) e paixão (paixão em pintar, em cantar, em escrever, em tocar piano,…)

Quando fizeres este click na tua rotina e na tua vida, experimenta dar uma oportunidade a ti próprio!

E se em vez de te sentares a ver televisão ou ficares preso na cama a verificar cada post nas redes sociais experimentasses fazer algo de novo?

Achas que não vais conseguir? Ninguem nasce ensinado! E nunca vais saber se consegues ou não se não tentares. Deixa de ter pena de ti próprio e de te colocar em segundo plano!

Arrisca e talvez descubras algo de que verdadeiramente gostes.

As maiores aventuras começam onde a zona de conforto termina

Experimenta pesquisar na internet pequenos hobbies que nunca fizeste, fala com amigos, talvez até alguns deles estejam dispostos a dar uma oportunidade a pequenas tarefas e actividades que sempre deixaram para outra altura.

Por fim, um ponto importante e que deves sempre cumprir é tentar algo de novo separadamete, para teres tempo e espaço suficiente para perceberes se é mesmo aquilo que gostas. Por exemplo, num fim de semana experimenta ir tirar fotos à tua cidade, ou mesmo no caminho para a escola, a vários cenários que aches interessantes e, num outro fim de semana, experimenta desenhar alguma paisagem de que gostes. Isto são apenas algumas sugestões.

Assim, passo-a-passo, vais percebendo aquilo que realmente te faz sentir tu próprio, aquilo que te faz sentir completo e concretizado.