Um mês de Erasmus: 10 Coisas que Paris me deu

Redatora com Futuro
23 Outubro 2018

De lenço ao pescoço, com uma baguette no braço e a perder-me nas ruas que agora chamo casa, em Paris - é este o dia-a-dia de uma estudante de Erasmus na Sciences Po Paris.

O desejo de viajar era enorme, as saudades do meu país já se faziam notar e o sentimento de independência antecipavam uma das maiores aventuras em que já embarquei.

A busca por uma casa em Paris (que não custasse um ordenado do Bill Gates) e as demoradas questões burocráticas entre Universidades tornaram as semanas precedentes à minha partida extremamente stressantes. Contudo, agora que cá estou reconheço que todo o esforço valeu a pena e, verdade seja dita, posso considerar-me uma sortuda porque na semana a que cheguei a Paris fui muito bem recebida por um casal amigos dos meus pais que, rapidamente, se tornaram na minha família longe de casa, facilitando significativamente este processo de integração.

 

Embora nem todos tenham esta sorte, não se assustem, porque amizades em Erasmus é das tarefas mais fáceis, uma vez que todos se encontram em situações semelhantes.  

E a verdade é que, neste curto período, Paris já me deu tanto! Ora vejamos:

  • Aprendi que afinal sou boa cozinheira;
  • As promoções e vales de desconto nos supermercados deixam-me (demasiado) entusiasmada;
  • Os franceses, embora muito apressados, nem são más pessoas;
  • J’ai pratiqué mon français;
  • Nunca comi tantos croissants na minha vida;
  • Tento organizar o meu tempo eficientemente, de forma a poder ver o pôr do sol junto ao Sena;
  • Descobri que, por mais que achemos que já vimos tudo, Paris surpreende sempre;
  • Já conheci a região da Normandie, Bretagne e Lyon e já tenho outras viagens marcadas.
  • Fiz amigos dos quatro cantos do mundo e com quem já pude partilhar muitas destas experiências
  • E acima de tudo, sei que cresci.

Paris conquistou o meu coração. E, embora já tenha saudades dos pastéis de nata ou do clima mediterrânico, não quero deixar esta cidade deslumbrante que agora é tão minha.

Por vezes, dou por mim a pensar no quão sortuda sou por poder realizar este grande sonho que tinha em vir de Erasmus, em poder ir ao Louvre todas as semanas, ir estudar com vista para a Notre Dame, ou interagir com diferentes contextos culturais.

Mal posso esperar por aquilo que o Erasmus ainda tem para me dar, os desafios que terei de ultrapassar e a mudança que trará consigo, mas até lá,

Au revoir!


DEIXA UM COMENTÁRIO